MENU

Cacife Clan - Moleque Crazy 「Letras」

PEP no beat, Ayy, ayy, Pow!

[Verso 1]
Desde de menor bandido bom, moleque crazy



TOP 1 Brasil


Cacife Clan - Moleque Crazy 「Letras」

PEP no beat, Ayy, ayy, Pow!

[Verso 1]
Desde de menor bandido bom, moleque crazy
Já vi os pivete de AR rasgar blazing
Não era pescador, mas vende escama de peixe
Nunca me envolvi, gostava delas e do verde (Uh)
O tempo é prefessor, artigo 12 desde do 13
Perdi meu mano nessa guerra faz uns meses
Na porta de casa venho uns alemão de Fazer (*Moto*)
Já me liguei, e atirei umas quinze vezes
Querem o que tenho, mas isso não é fácil
De onde eu venho, sobrevive o mais ágil
Guardo igual desenho, àquele sonho foi presságio
Vi os inimigo aqui tentando o meu naufrágio
Eu peço a Deus, me tire da mira dos verme
Me livra do mal que assombra, que a vida não seja breve
Tô pelos meus, cobrando só quem me deve
Controlando à zona, ruas frias como a neve





[Refrão]
Baby, deixa eu tirar seu sutiã
É a despedida, tô fugindo amanhã
Eu sei que você quer eu fique, mas vi a morte sorrir pra mim
Lady, não entre em desespero
Hoje eu vou dormir com a nove no travesseiro
Me atende quando chegar no estrangeiro, com documento falso e mala de dinheiro

[Verso 2]
Sigo na postura, captura investimento
Dose de álcool pra curar o fermento
Dobro a atividade, pois não posso perder tempo
Drogas e arma fazem parte do orçamento
No depoimento botaram o meu nome, mas a vítima não era minha
Puro calor nos inimigo do bonde, olho grande no que eu tinha
Vou sumir no tempo, tá na mão do advogado
A guerra é cara, não posso ficar parado
É um investimento só em arsenal pesado
Falou de mim, agora tem que ser cobrado




Visão da calçada da cidade problemática
Conheço o caribe pelo timbre da rajada
Meu cerébro tá tipo uma Pistola automática
Tudo o que aumejo, miro, acerto e ponho em prática
Aqui é uma fábrica de mercenário
Querem sua vida, sua alma e a fé, do escapulário
Que tu tem no bolso, chama, e gera comentário
Saber a hora de parar, é só pros visionários

[Refrão]
Baby, deixa eu tirar seu sutiã
É a despedida, tô fugindo amanhã
Eu sei que você quer eu fique, mas vi a morte sorrir pra mim
Lady, não entre em desespero
Hoje eu vou dormir com a nove no travesseiro
Me atende quando chegar no estrangeiro, com documento falso e mala de dinheiro